Blog - Momento Kulzer

O estresse é um desafio moderno

Leia uma série de dicas para gerenciar o estresse e aproveite para fazer um pequeno teste

Ninguém precisa lhe falar sobre o estresse – você trabalha em uma clínica odontológica. Muito pouco tempo, muitas demandas e a sensação de esperar o inesperado formam uma mistura desafiadora. É ainda mais crítico identificar os principais fatores e tomar medidas. Dentistas têm uma grande tendência a sobrecarga física, mental e emocional. A maioria tem dificuldades para se libertar de sua rotina, uma reivindicação à perfeição e ao trabalho de longas horas. Os dentistas estão sujeitos à um alto risco de estresse ocupacional, o que pode ter um impacto negativo sob sua saúde mental, aumentando o risco de sofrimento emocional e ansiedade. O desenvolvimento relevante e alarmante da questão, foi a razão para a Associação Dental Britânica pesquisar as implicações do esgotamento da saúde mental em dentistas, em seu trabalho de 2017.1 A pesquisa recente mostrou o trabalho  em condições de isolamento social como as principais causas de fadiga e estresse. A questão é o quanto os dentistas estão dispostos aguentar.

COMO O ESTRESSE AFETA A VIDA DOS DENTISTAS

Outra pesquisa realizada entre os consultórios odontológicos mostrou que mais da metade dos dentistas participantes se sentiam estressados no seu trabalho ou todos os dias ou durante a maior parte dias úteis.2 Como sintomas físicos apresentavam principalmente: insônia, cansaço, e ansiedade. Não só percebe-se o cansaço físico, mas o estresse também tem impacto perceptível em sua motivação e relações pessoais ou com familiares. Quando perguntados sobre a sua gestão sobre o stress, algumas das respostas foram um pouco confusas. Depois de esporte, o álcool foi apontado como o segundo método mais comum para a redução do estresse. Todas estas circunstâncias mostram que a questão precisa ser levado a sério.

IDENTIFICANDO OS FATORES DE ESTRESSE

Numerosos fatores se somam aos fatores ocupacionais para o risco de estresse. Por um lado, existem problemas psicológicos na interação com os pacientes, como o medo dos pacientes ao tratamento odontológico e suas crescentes demandas. Por outro lado, muito estresse resulta também de problemas com a gestão e organização do consultório. Entre os principais fatores de estresse para os dentistas no trabalho, estar atrasado foi listado com mais frequência. Conflitos entre os membros da equipe, um equilíbrio insatisfatório entre a vida profissional e pessoal, foram os seguintes tópicos mais apontados. Existem muitos métodos e medidas, que ajudam a aliviar a pressão e tornar o dia-a-dia menos extenuante e muito mais saudável. A seguir, será ilustrado com maior detalhe, dois aspectos críticos que impactam no estresse do fluxo de trabalho no consultório odontológico: agendamento e comunicação com a equipe.

REGRAS CLARAS PARA PLANEJAR OS COMPROMISSOS

Planejar os compromissos nem sempre é uma tarefa fácil. Os pacientes não só esperam  que o dentista trabalhe dentro do horário marcado, sem atrasos para que possam atender a outros compromissos pessoais, mas também muitas vezes esperam isso mesmo não sendo pontuais em suas consultas agendadas. Em geral, imprevistos acontecem e acabam alterando o planejamento. Uma extração imaginariamente simples, de repente pode ter a necessidade de manobras mais complexas, como osteotomia; ocorrência de maior sangramento gengival em um procedimento de moldagem, o que retarda o protocolo clínico planejado, enfim, uma consulta acaba demorando mais do que o previsto. A vida desafia o planejamento. E isso acontece diariamente. O mais importante é uma preparação adequada do agendamento. A recepcionista precisa ter compreensão sobre qual tratamento requer mais tempo de consulta para melhor organizar os agendamentos. Os dentistas são os que melhor sabem estabelecer os tempos corretos para cada procedimento, tendo em vista o perfil de cada paciente. Para evitar avaliações superconfiantes, é necessário que haja a comunicação entre ele e sua equipe para elaborarem o melhor planejamento. Em cooperação com o laboratório de prótese, os dentistas também podem definir os prazos para execução de cada etapa dos trabalhos. As agendas devem ser conferidas e ajustadas com frequência, tendo em vista um planejamento de curto e médio prazo. Elas formam a base para a organização da recepcionista. Tal abordagem economiza esforço e tempo, uma vez que evita encavalamento de consultas ou horários vagos que poderiam ser ocupados com pacientes. O tempo investido na sistematização otimiza o fluxo de trabalho diário e contribui para a redução do estresse ocupacional.

 

ESTRESSE NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA

Joanna Taylor é uma hipnoterapeuta neuro-linguística especializada em oferecer ajuda a dentistas. Ela convidou dentistas e outros profissionais da área odontológica a participar de uma pesquisa sobre estresse para identificar as causas e revelar seus efeitos. No geral, a pesquisa mostrou que o estresse impacta negativamente a saúde e a motivação dos profissionais da Odontologia quando não bem gerenciado.

CONTROLE DE ESTRESSE NO AMBIENTE DE TRABALHO

Propiciar um forte espírito de equipe e colaborar com a coesão do grupo devem ser uma das principais funções de gerenciamento. Boa comunicação interna e cooperação terá um impacto positivo sobre o estado de humor geral. Encorajando os membros da equipe a expressar suas preocupações e capacitando-os para a tomada de decisões, o dentista forma uma base para a confiança e motivação. Se os membros da equipe se sentirem apreciados por seu chefe, eles trabalharão melhor e mais felizes. Além disso, sua satisfação no trabalho irradiará para os pacientes. Eles se sentirão confortáveis se o dentista e sua equipe também se sente confortável. O trabalho em equipe é crucial não apenas entre dentista e assistente em situações de atividade clínica, mas geralmente em relação ao comportamento para com os pacientes. Alguns aspectos podem ajudar a moldar o desenvolvimento da equipe e a interação. Objetivos claros em relação à resultados e expectativas da equipe formam a base para um trabalho em equipe de sucesso. Valores compartilhados ajudam a desenvolver a equipe e, além disso, a evolução da equipe. Comunicação aberta, agradecimento e gestão de conflitos são cruciais para esclarecer causas e encontrar soluções para qualquer problema que possa surgir. Um dentista que fica atento aos membros da equipe e sabe intercalar palavras de elogios com um sorriso aqui e ali, fará diferença no mundo de seus assistentes e dos pacientes, como consequência.

 

Referências:
1 Larbie J, Kemp M, Whitehead P (2017). The Mental
Health and Well-being of UK Dentists:
A Qualitative Study, British Dental Association, BDA
Research Paper.
2 Taylor J (2012). Stress in dentistry – a study. Dentistry,
12-02, 26.

Escreva um comentário

Cancelar resposta